É caro ser vegano?

Não, mas pode ser. Assim como pra quem não é vegano é possível ter uma alimentação barata ou cara. Tudo depende do que você prioriza.

Aqui em casa sempre preferimos o alimento na forma mais natural possível: frutas, verduras, legumes. Tem industrializados? Tem. Mas a nossa base alimentar é de cereais (arroz, milho), verduras, legumes, frutas e leguminosas (feijão, grão de bico, ervilha, lentilha). Quem me acompanha no instagram sabe que sou a rainha da comida simples. Essa é a minha realidade – até porque não cozinho apenas pra mim – e também a da maioria das pessoas. Comer simples é bom, barato, gostoso. Precisamos desconstruir a ideia de que um prato com o combo arroz + feijão + verduras e legumes é pobre ou nutricionalmente deficiente e que “falta alguma coisa” sem carne/ovos/derivados de leite.

Meus pratinhos de todo dia

Experimenta ir no mercado e comprar só essa dita “comida de verdade” e veja como sua conta ficará barata. E você nem precisa comprar uma grande quantidade de coisas não, até porque a ideia é não desperdiçar. Aposte em + variedade e – quantidades. Além da economia, perceba como seu corpo reage a uma alimentação mais natural. São inúmeros os benefícios. Claro que existem questões complexas em torno disso, especialmente a dos orgânicos/não orgânicos. Infelizmente não é todo mundo que tem acesso aos orgânicos seja pela localização, seja pelo preço. E é triste ter que pensar que os grandes produtores (e que usam agrotóxico) recebem muito mais subsídio do governo  (o que reduz o preço) enquanto quem produz sem agrotóxicos (e sem subsídios) tem gastos maiores e o preço final também acaba aumentando. Mas se formos levar em consideração que o  preço de 1kg de alcatra (tive que dar uma pesquisada pois não tenho ideia de quanto é) custa em média R$30,00 e dura pouco tanto pela quantidade que dá pra servir as pessoas quanto por ser um alimento perecível, enquanto você consegue pegar esse valor e comprar verduras, legumes e frutas variadas, ainda assim sai muito mais barato ter como base alimentar verduras, legumes e frutas. Se forem os da estação, melhor ainda pois sairão ainda mais em conta.

Se possível, procure por pequenos produtores de alimento na sua cidade/região. Muitos não tem a certificação de orgânico mas acabam cultivando em pequena quantidade, muitas vezes na própria casa, então você pode ter acesso a alimento mais livre de interferências químicas do que os outros e ainda consegue um preço bacana. Quem dera se todos pudéssemos ter acesso a comida sem nada de agrotóxico, cultivada com respeito à terra, à quem nela trabalha, aos animais. Infelizmente o desgoverno atual pretende incentivar/liberar o uso de agrotóxicos já proibidos em outros países porque o real interesse não é alimentar e trazer saúde para a população, mas encher os bolsos dos grandes produtores e de quebra lucrar também com a indústria de medicamentos. Eles mesmos produzem a doença e depois nos oferecem o remédio.

Para além do veganismo – que é a questão que defendo, junto com outras, claro – buscar informação, consciência e autonomia para saber o que se está consumindo é transformador. Libertador. O “não consumo” é a nossa maior ferramenta de transformação do mundo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: